Uma carta aberta das mulheres da ciência:

A ciência é fundacional em uma sociedade progressista, alimenta a inovação, e toca a vida de cada pessoa nesse planeta. Os sentimentos de anticonhecimento e anticiência expressos repetidamente durante a eleição presidencial dos Estados Unidos ameaçam os próprios alicerces da nossa sociedade. Nosso trabalho como cientistas e nossos valores como seres humanos estão sob ataque. Nós tememos que o progresso científico e o ímpeto em enfrentar nossos maiores desafios, incluindo evitar os piores impactos das mudanças climáticas, sejam severamente prejudicados por esta próxima admistração dos Estados Unidos da América (EUA). Nosso planeta não pode perder tempo.

Nesta nova era de anticiência e desinformação, nós, como mulheres cientistas, reafirmamos nosso compromisso de construir uma sociedade mais inclusiva e um empreendimento científico. Nós rejeitamos a retórica odiosa que foi dada uma voz durante a eleição presidencial dos EUA e que visava grupos minoritários, mulheres, LGBT, imigrantes e pessoas com necessidades especiais, e tentou desacreditar o papel da ciência na nossa sociedade. Muitos de nós nos sentimos pessoalmente ameaçados por essa retórica divisiva e destrutiva e nos voltamos, uns aos outros, para entendimento, força e um caminho a seguir. Nós somos membros de grupos raciais, étnicos e minorias religiosas. Nós somos imigrantes. Nós somos pessoas com necessidades especiais. Nós somos LGBT. Nós somos cientistas. Nós somos mulheres.

Em todo o mundo, as mulheres na ciência enfrentam discriminação, desigualdade salarial e oportunidades reduzidas. Nosso trabalho para superar a degradação a longo prazo do papel que a ciência desempenha na sociedade não começou com essa eleição, mas esta reacendeu nossos esforços. Como mulheres cientistas, nós estamos em posição de tomar medidas para aumentar a diversidade na ciência e em outras disciplinas. Nós resolvemos prosseguir nossas atividades com paixão renovada e encontrar soluções inovadoras para os problemas que enfrentamos nos EUA e no exterior. Juntos, comprometemo-nos a:      

·      Identificar e reconhecer desigualdades e preconceitos estruturais que afetam o potencial de todos os indivíduos para cumprir suas metas;

·      Promover a igualdade e enfrentar a desigualdade, decriminação e agressão;

·      Promover o fortalecimento do apoio aos grupos tradicionalmente sub-representados para que participem plenamente e tornem-se líderes na ciência

·      Apoiar a educação e as carreiras de todos os cientistas

·      Dar um passo fora das nossas disciplinas de pesquisa para comunicar nossa ciência e envolver-se com o público;

·      Usar todos os dias como uma oportunidade para mostrar à meninas e mulheres que elas são bem-vindas e necessárias na ciência;

·      Definir exemplos através da orientação e promoção de uma atmosfera de encorajamento e colaboração, não de divisão.

·      Usar a linguagem da ciência para preencher as divisões que separam as sociedades e para melhorar a diplomacia global.    

Hoje, nós convidamos as mulheres na ciência e os nossos colegas a declarar apoio mútuo e à todas as minorias, imigrantes, pessoas com necessidades especiais e LGBT. Nosso trabalho científico pode ser global, mas agiremos em nossas próprias comunidades e trabalharemos para uma sociedade inclusiva, onde ciência e conhecimento possam ser abraçados e todos tenham a oportunidade de alcançar seu potencial.

 

Como mulheres na ciência, como modelos para meninas e mulheres, como líderes em nossas comunidades, nós aceitamos esse desafio. Junte-se a nós.